Ninho's Home Page

Picture of Sunrise's Jureia

IGUAPE: Histórias e estórias



História:

A origem da palavra Iguape é atribuida, por alguns, ao nome de uma planta aquática existente em abundância na região, e denominada aguapê ou Rainha das Águas, para outros a palavra Iguape vem da língua tupi.

Seu fundador foi Heliodoro Ebano Pereira. Há quem afirme que os verdadeiros fundadores de Iguape foram os castelhanos e portugueses dissidentes de São Vicente, entre os anos de 1500 a 1538.

Em 1577 era conhecida como Freguesia de Nossa Senhora das Neves, com sua antiga Matriz das Neves, que foi construida em 1637 e demolida em 1858.

No ano de 1635 foi fundada a CASA DE OFICINA REAL DA FUNDIÇÃO DO OURO. Segundo consta, foi a primeira Casa da Moeda do Brasil. Neste prédio funciona hoje o Museu Municipal de Iguape.


Iguape atual:

Iguape é uma das cidades mais antigas do Brasil. Isso esta registrado na propria arquitetura de suas igrejas, casarões e muros de pedra, bem como na sua estrutura urbana, de ruas estreitas e "funis".

Atualmente sua maior fonte de renda é o turismo, isso devido a beleza de seus ambientes naturais (praias,rios e morros), como também ao fato de ser uma cidade santuario, procurada anualmente, por milhares de peregrinos, que vêm cumprir promessas, assistir cerimonias religiosas ou simplesmente dar um testemunho de fé , no Senhor Bom Jesus de Iguape.

São esses dois valores espirituais (Fé e lazer), que mantem o ritmo da vida sócio-econômica da cidade.


Clima:

A região de Iguape se beneficia de uma dupla vantagem: é o inicio da Zona Temperada e fica próxima ao mar. A temperatura oscila entre 18 e 30 graus durante o ano. No verão o famoso VENTO LESTE ameniza o calor, e no inverno a baixa altitude ajuda a manter uma temperatura moderada.


Fé e Tradição:

Iguape conserva aquela religião tradicional, com procissões, quermesses, novenas, promessas e ex-votos. E para quem visita a cidade, há muitas maneiras de entrar em contato com esses traços de espirualidade, seja pela frequencia às cerimônias e festas religiosas, seja pelas visitas a locais especificos, como a "Sala dos Milagres" da Basílica, ou a "Fonte do Senhor".

Embora muitas festas religiosas não conservem o brilho de antigamente, ainda permanecem algumas,como a Folia de Reis e a Festa de São Benedito, no inicio de janeiro. Mas o ponto maximo das comemorações religiosas em Iguape é a Festa do Bom Jesus de Iguape, no dia 6 de agosto.

Na verdade a festa dura mais de uma semana, começando nos finais de Julho.

A cidade se transforma, cheia de barracas, de parques de diversões, carros e onibus.

Estima-se uma população flutuante de aproximadamente 100.000 pessoas, a maioria do Sul do país.


Carnaval e Praias.

O carnaval também é uma atração em Iguape, com desfiles de carros alegoricos, blocos e escolas de samba. Blocos como o do Boi Tatá chega a arrastar milhares de foliões, tornando-se o mais tradicional do Carnaval Iguapense.

Quanto às praias, o turista tem tres opções:

-Praia do leste, que fica a 12 quilometros da cidade. É uma praia boa e totalmente virgem.

-Praia da Jureia, que é uma continuação da praia do Leste. É só atravessar uma balsa, na Barra do Ribeira e seguir em frente e desfrutar do Paraiso Ecologico da Jureia, praia totalmente virgem.

-Praia da Ilha Comprida, cidade vizinha de Iguape. Praia com muito movimento nos feriados e finais de semana,já possui boa infra-estrutura, como hoteis e restaurantes.


O Pitoresco linguajar do Iguapense:

Na linguagem deste povo ainda resistem traços de uma epoca antiga,mais pitoresca e rica. Assim o visitante de Iguape pode captar, de repente, uma palavra ou frase estranha aos seus ouvidos. Isso sem considerar a vocalização"cantada", típica da região Sul-Paulista.

Alguns termos muito usado nesta região:

Surucô= caiu

Mainga=que pena

Sunununga=barulho

Gersi=corpo mole

Torrado=bêbado

Pra morde=a fim de

Atiçar=soprar o fogo

Inquizinhar=aborrecer

Aloitar=brigar

Chalado=bêbado

Aíva=doente

Criqué= mal estar

Picumá=foligem

Catavevê=restos de incendio

Araíva= chuva fina

Saramilhado=tecido estampado.

E tem mais centenas de palavras que formam um vocabulário tipicamente Iguapense, que vem resistindo no tempo a influencia dos novos tempos.


This Web Site Has Been Accessed Times.



Send comments and mail to Antonio Jose de Morais Junior - morais@virtualway.com.br


Mais informações sobre IGUAPE e JUREIA: Mongenot's Home Page


Yahoo Search Form


Return to the TheTropics


This page is supported by Geocities: http://www.reocities.com